quarta-feira, janeiro 23, 2008

Mais um que se vai, deixando-nos a fantasia de o que poderia ter sido...

Estou num computador difícil de operar, numa cidade perdida no vazio do mundo e recebo uma notícia que deixará o cinema vazio.

Lembro-me de o ter visto, pela primeira vez, como Sir Ulrich von Lichtenstein, como um jovem que tentava recomeçar a sua vida. Vi-o brilhantemente como Casanova e facinei-me com a sua atuação, fazendo de um dos dois irmãos Grimm.

Heath Ledger, dois anos e uma semana mais velho que eu, um dos mais proeminentes atores de minha geração foi encontrado morto, em seu apartamento. A autopsia é inconclusiva e eu não sei dizer porque ele morreu!

Não sei se foi uma morte justa ou injustificada, se ele seria responsável por ela ou não.
O único que sei é que a fugacidade da vida fez uma nova vítima: um ator que tocou muitos, apesar da sua ouca idade, pelos personagens que tão nobremente encarava.

A se comprovar a tese de overdose, só me restará torcer que as novas gerações olhem para ele, e aprendam que o vazio... pode estar na vida até daqueles que nós achamos que tem tudo. E que o sentido da vida está no amor, na obra e no sofrimento que aprendemos a lidar e não na fama e na fortuna...

Resta-me apenas orar para que o seu exemplo sirva para os mais jovens, Heath!

Etiquetas: ,

1 Comentários:

Blogger Marie disse...

pois é...com todo mundo que eu conversei foi a mesma coisa, todos ficaram chocados...
você esta mais do que certo, apesar de acreditarmos que se tem tudo ainda pode existir o vazio...
uma pena mesmo!

24 janeiro, 2008 13:37  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial