quinta-feira, janeiro 17, 2008

A escolha brasileira


Acabo de ler na Scientific American, um texto que opto por traduzir (alguns trechos), sem comentar.
Quem quiser fazê-lo, sinta-se à vontade!


Menos de um quarto de século desde que emergiu da ditadura militar, os brasileiros construíram uma estável e vibrante democracia com 80 milhões de votantes que livremente decidem o futuro de seu amado país em cada e todas as eleições. (...)

O Brasil teve que trabalhar arduamente durante a década passada para alcançar a sua presente estabilidade e prosperidade económicas. Contudo, nesta conjuntura de sua história, o país enfrenta uma desencorajadora tarefa de traduzir a sua estabilidade política e económica em políticas sociais e programas que possam incrementar, finalmente, a qualidade de vida de milhões de brasileiros que, até muito recentemente, não teriam tido esperança na enorme riqueza do país. Mas como se capacitam milhões de cidadãos, particularmente jovens, pare se tornarem verdadeiros participantes numa sociedade global que está continuamente em mudança num ritmo estonteante como resultado da interminável incorporação de novo conhecimento e tecnologia?

A resposta é direta: educação sistémica de alta-qualidade, disseminada para chegar à totalidade do território, incluindo as mais remotas e empobrecidas comunidades deste vasto país, para que todos brasileiros possam adquirir os meios para se tornaram pensadores criativos e críticos, capazes de desenvolver as suas próprias opiniões e se tornarem verdadeiros contribuintes na resolução de desafios envolvidos na construção de uma justa e democrática sociedade. (...)

Ao claramente escolher disseminar a educação de alta qualidade e a educação científica em particular através de todo o seu território, o Brasil está enviando a mensagem em voz alta aos seus cidadãos e à comunidade global que este gigante dos trópicos finalmente despertou e está agora pronto para cumprir o seu potencial como um verdadeiro país do futuro.

Para os brasileiros, um futuro brilhante começa agora.

Etiquetas: , ,

6 Comentários:

Blogger dácio jaegger disse...

Quarenta e nove cursos de pedagogia e 11 de normal superior (formação de professores) com baixa avaliação no exame da educação superior do Ministério da Educação vão passar por um processo de supervisão que pode acarretar redução de aluno por sala e suspensão de processos seletivos. Assim se fez com 80 cursos de direito --até agora, 26 deles terão que cortar 6.323 vagas de vestibular, principalmente para diminuir o número de alunos por sala. Os cursos foram escolhidos com base nas notas dos universitários no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) feito em 2005, no caso de pedagogia, e 2006, no de normal superior --cada área é avaliada uma vez em três anos. Os cursos da lista divulgada recentemente obtiveram notas 1 e 2, em uma escala de 1 a 5, no conceito Enade, que avalia o conhecimento dos alunos, e no conceito IDD, que indica o conhecimento que as instituições agregaram ao estudante. Haddad, ministro da educação disse que, após o próximo Enade, os cursos de medicina serão o alvo. No único exame por que passaram, porém, nenhum obteve nota 1 e 2 nos dois conceitos.
(colhido na mídia)
Assim se fará um pais de alta classe.
Abraços

19 janeiro, 2008 14:50  
Blogger SaM disse...

Boas,
Não sei até que ponto isto será verdade. Parece-me mais um dos discursos políticos carregados de demagogia. Oxalá fosse verdade, pois todos nós deveríamos ter as mesmas potencialidades para vingar no futuro. Embora neste caso a lei da desigual distribuição dos recursos não faça muito sentido, visto o Brasil ser um pais bastante rico a nível de vários potências Económicos, é sempre bom lembrar que nem todos têm, como consta nos direitos Humanos, igual acesso à educação e bens primários, muitos de nós somos condicionados logo à nascença, visto ter nascido numa certa parte do Globo!

É com prazer, que o recebo no meu blog, e é também com gosto que arrecado o seu conselho! È sempre bom ter opiniões de terceiros para conseguir melhorar. A minha intenção foi escrever na segunda pessoa do singular, peço desculpa com a confusão criada pelos verbos e pronomes. Mas lá esta é com as criticas construtivas que aprendemos e crescemos!

Abraço

SaM*

[Entre o Céu e o Mar]
www.samuelrolo.blogspot.com

20 janeiro, 2008 14:06  
Anonymous Lino disse...

Sam:
Quem escreveu o texto não é brasileiro. Aqui, temos a mania de depreciar o que é nosso e valorizar o que vem de fora.
Há problemas? Há, é claro. Mas temos também muitas coisas boas.

21 janeiro, 2008 21:33  
Blogger Cidão disse...

Partilho minha opinião com a do Lino, mas é tão complicado em se tratando de Brasil...

Em tempo, estou te "linkando", coisa que devia fazer a muito tempo... eu sou mesmo relapso!
Um abraço!

22 janeiro, 2008 00:41  
Blogger SAM disse...

É verdade, rapazes, que o discurso pode parecer demagogo, como o Samuel diz, mas é interessante, sobretudo, por ter sido escrito por um prestigiado meio de comunicação social internacional.

É verdade, Lino e Cidão, que o latino americano acha que o seu país é o pior do mundo, mas basta vermos as situações de xenofobia na França, a imigração no EUA, os governos instáveis na Bélgica e tantas outras coisas, para vermos que a situação do Brasil é, sem sombra de dúvida, promissora.

Dácio, se a avaliação dos cursos servir para melhorar a qualidade de ensino os defendo, mas se servir para oprimir a quantidade de pessoas motivadas para a área em causa, há algo, sem dúvida, errado.

As coisas nunca são lineares, não é pessoal?

22 janeiro, 2008 01:44  
Blogger SaM disse...

Eu friso que não quis depreciar, o estudo, nem sequer foi minha intenção diminuir as qualidades do belo país que é o Brasil!

Apenas, me pareceu um discurso, como já foi referido, um pouco demagogo!

Mas como não estou inteirado da real situação vivida na educação brasileira, não posso nem desmenti-lo nem afirma-lo! Apenas emiti a minha opinião!

É de meu consenso, que o Brasil deve investir na sua educação, porque não existe nada melhor do que uma mão-de-obra qualificada para aproveitar todas as capacidades deste gigante económico, que infelizmente ainda move muita corrupção, e deseja muito na distribuição da sua riqueza! E enalteço aqui que o Brasil tem todas as potencialidades para um dia vir a ser um dos motores económicos do mundo, basta aproveitarem e rentabilizarem os seus recursos, e nada melhor do que começar a qualificar a mão-de-obra!

Cumps
Peço desculpa se me fiz entender mal!

SaM*

[Entre o céu e o Mar]

www.samuelrolo.blogspot.com

22 janeiro, 2008 13:58  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial