quarta-feira, novembro 08, 2006

'Abdu'l-Bahá - Professor: procura-se

Alguns dos homens sagazes declaram: Nós chegamos ao grau superlativo de conhecimento; penetramos o laboratório da natureza, estudando ciências e artes; atingimos a mais elevada condição de conhecimento do mundo humano; investigamos os fatos como eles são e chegamos à conclusão de que nada é razoavelmente aceitável exceto aquilo que é tangível, sendo esta a única realidade digna de crédito; tudo que não seja tangível é imaginação e tolice."
É realmente estranho que após vinte anos sendo instruído em colégios e universidades o homem possa chegar a uma condição em que ele nega a existência do ideal ou daquilo que não é perceptível aos sentidos. Já parastes para pensar que o animal já se graduou em tal universidade? Já percebestes que a vaca já é mestra emérita dessa universidade? Pois a vaca, sem trabalho e estudo árduos, já é uma filósofa de grau superlativo na escola da natureza. A vaca nega tudo que não é tangível, dizendo: “Eu posso ver! Eu posso comer! Por isso, eu só acredito naquilo que é tangível!"
Então por que vamos a colégios? Vamos até a vaca.
'Abdu'l-Bahá (1844-1921) in
A Promulgação da Paz Mundial
Trad. por Bijan Ardjomand (2005).
Nota: Depois de 20 anos de estudos (nem mais nem menos), hoje
introduzi a última palavra na minha dissertação final de
mestrado
e amanhã é a minha última aula no Master da Universidad de Sevilla.
Obrigado a todos os companheiros de jornada que me permitiram ver para além das vacas!

Etiquetas: , ,

8 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Belíssimo post. E parabéns pela conclusão do mestrado. Mais uma etapa vencida e mais conhecimentos adquiridos. E com certeza vendo além da vaca.

10 novembro, 2006 03:06  
Anonymous Mikas disse...

Ah a vaca é adorável...

10 novembro, 2006 12:26  
Blogger Zeca disse...

Parabéns pelo mestrado.
Bom fim de semana
Fica bem

10 novembro, 2006 12:52  
Blogger João Moutinho disse...

Para a cultura hindu a Vaca é intocável.

16 novembro, 2006 11:10  
Blogger SAM disse...

A vaca, de facto, é intocável na religião hindú, que data de cc 3.000 a.C., João. E aqui, ela é utilizada como o símbolo da natureza: é a professora capaz de nos ensinar a ver o "tangível" e o óbvio.

Mas, nestes quase cinco milénios, a humanidade foi evoluindo e o que 'Abdu'l-Bahá disse nos EUA, com um humor único, é exactamente isso: se os "alunos" (que somos nós, os seres humanos) evoluem, então é já a hora de os "professores" evoluírem também e não irmos mais aos "professores" que não nos ensinam nada de útil...

Deveríamos buscar àqueles que nos permitam ver para além da natureza e que nos façam pensar, reflectir, que nos abram a mente e os horizontes. E, se não aprendermos isso na universidade (real ou metafórica), deveríamos procurar noutros lados.

Felizmente, em Sevilha, encontrei alguns bons professores! Por isso, "gracias" aos comentadores do post; mas ainda faltam uns pormenores (só acabei a redacção...).

16 novembro, 2006 13:38  
Blogger AMMedeiros disse...

20 anos e uma tese de mestrado depois, ainda bem que alguns vislumbram e estudam para lá do que as vacas são capazes. Parabéns.

Um beijo

19 novembro, 2006 02:59  
Anonymous Anónimo disse...

Fico muito feliz por estares quase a terminar a tese de mestrado e espero que continues as tuas reflexões para além da sua conclusão.
Beijos e abraços grandes.
Mafalda

30 novembro, 2006 17:27  
Anonymous Veco84 disse...

Se já sei que ainda faltam aqueles pequenos detalhes (que sempre demoram longos dias a ser resolvidos) mas parabens pela tese, pelo mestrado e por teres ido alem da vaca.

Bem haja para ti e para todos aqueles que não se ficam só com a vaca.

07 dezembro, 2006 22:00  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial