sexta-feira, junho 29, 2007

Crise Existencial da Europa (2)

Ao inquirir o Secretário de Estado Gomes Cravinho sobre o tema citado no post anterior, afirma que a figura do Alto (ou auto?) Comissário Europeu para os Assuntos Externos terá como função “implícita” de defender os Direitos Humanos Universais dentro e fora da Europa. Gostaria de ver o Javier Solana ter a sua próxima reunião em Lisboa com a delegação iraniana e perguntar: “Então, por que é que as mulheres são presas? Não percebi bem aquela pena de prisão àquele blogger! Ser bahá'í é inconstitucional?!” E não “vá lá, deixem lá a Energia Atómica”.

Gostaria de ter visto estes valores europeus serem aclamados e bradados antes da tragédia do Darfur ter adquirido tais dimensões como agora, e não depois! Acho que os valores europeus são, tal como têm sido nos últimos séculos, querer liderar o mundo sem saber bem como.

Espero que a Europa dos Direitos Humanos se erga, e que a política de direitos humanos seja mais do que uma política
e que, como disse Gianni Bonvicini, no mesmo dia, além de melhorar a economia para sermos imprescindíveis ao mundo, ofereçamos segurança, mas, acima de tudo, democracia ao resto do mundo.

Espero que ultrapassemos essa depressão e que, citando o nosso Ministro, percebamos não só a questão do “poder na Europa” como também “o poder da Europa no Mundo”, num mundo cuja marca será o humanismo e não o economismo feudal.

Etiquetas: , , , , , , , ,

1 Comentários:

Blogger João Moutinho disse...

Olá Sam,

A Europa não é uma princesa fenícia?

29 junho, 2007 13:27  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial